Estadio Nacional de Brasilia

Copa America Zone North

13/06/2021

18:00

Brazil
Venezuela
Odds are subject to change. Last updated 13/06/2021 17:59.
Brazil vence
Casa de aposta 1 X 2
Betway
1.07 11.0 34.0
Sportingbet
1.08 10.5 36.0
Odds are subject to change. Last updated 13/06/2021 17:59.

As informações e o palpite para Brasil x Venezuela

Campeão em todas as ocasiões em que sediou a Copa América, o Brasil inicia sua caminhada na versão 2021 do torneio contra a Venezuela. A partida foi escolhida também para abrir a competição no domingo, 13 de junho. Terá como cenário o estádio Mané Garrincha, em Brasília. O início está previsto para 18h (horário de Brasília). As seleções estão no grupo B, que conta também com Colômbia, Equador e Peru.

Como funciona a Copa América 2021

A edição 2021 da Copa América é a versão 2020 com um ano de atraso. Ela foi adiada devido à pandemia de Covid-19. Na verdade, nem precisaria ter sido realizada. Afinal, o torneio teve uma edição em 2019. Uma nova versão foi inserida na agenda para que a Confederação Sul-Americana de Futebol passasse a ter seu torneio continental no mesmo ano da Eurocopa. Bastaria cancelar e disputar a Copa América 2024. Porém, com dinheiro recebido pelos direitos de transmissão para TV e patrocínios negociados, a competição foi mantida em um calendário ainda mais apertado.

Em princípio, seria realizada na Argentina e na Colômbia. Os argentinos desistiram devido à crise sanitária no país, que enfrenta o aumento do número de casos de Covid-19. Os colombianos, mergulhados em uma grave crise política, também não tiveram condições de receber o torneio. O Brasil, embora com números de contaminação ainda maiores do que os da Argentina, decidiu sediar a competição, assim como fez em 2019.

A fórmula de disputa, dessa vez, é diferente. Os dez participantes, em vez dos 12 inicialmente previstos (Austrália e Qatar desistiram de participar), foram divididos em dois grupos. Na primeira fase, vão jogar em turno único. Ao final de cinco rodadas, os quatro primeiros de cada chave avançam para a segunda fase. A partir das quartas de final, serão realizadas disputas em jogo único até que seja conhecido o campeão.

O desempenho recente do Brasil

Sede da versão 2019 da Copa América, a seleção brasileira, mesmo sem grande brilhantismo, avançou sem maiores problemas na segunda fase. Acumulou sete pontos (duas vitórias e um empate) ficando na primeira posição do grupo A, que também contou com Venezuela (cinco pontos), Peru (quatro) e Bolívia (zero). Marcou oito gols e não teve sua rede balançada. Os cuidados defensivos, mesmo diante de times tecnicamente inferiores, sempre foram a prioridade sob o comando do técnico Tite.

Nas quartas de final, isso não foi suficiente para evitar um grande susto diante do Paraguai. O Brasil não passou do empate sem gols ante um rival que atuou desde os 13 minutos do segundo tempo com um atleta a menos. O zagueiro Balbuena foi expulso. Só conseguiu sobreviver na disputa ao levar a melhor na decisão por pênaltis. Nas semifinais, superou a Argentina ao marcar 2 a 0, em duelo que ficou marcado por muitas reclamações dos rivais em relação aos árbitros.

Na final, a seleção reencontrou a seleção peruana, a quem havia goleado por 5 a 0 na primeira fase. Sofreu seu único gol na Copa América 2019, mas venceu por 3 a 1 e levou o troféu. Everton Cebolinha, aos 15 minutos do primeiro tempo, abriu o marcador. Os visitantes reagiram com tento de Paolo Guerrero, em cobrança de pênalti, aos 44 minutos. Porém, antes do intervalo, aos 47 minutos, Gabriel Jesus colocou novamente o Brasil em vantagem. Na fase final, mesmo com um a menos, uma vez que Gabriel Jesus foi expulso aos 25 minutos, Richarlisson, cobrando pênalti, fechou a conta aos 45 minutos.

Seleção Canarinho protesta, mas mantém 100% nas Eliminatórias Sul-Americanas

Os jogadores da seleção brasileira fizeram um protesto velado em relação à decisão do país sediar o torneio. Menos por ter feito isso em meio a uma gigantesca crise sanitária. No período da disputa, o Brasil deverá atingir a marca de 500 mil mortes devido à pandemia de Covid-19, e mais pela forma com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Rogério Caboclo, conduziu as negociações para o país sediar a versão 2021 da Copa América. Com o afastamento do cartola, que foi suspenso de suas funções por um mês após ser acusado de assédio sexual e moral por uma funcionária da entidade, recuaram da ameaça de boicotar a competição.

Apesar do posicionamento dos atletas, eles alcançaram duas vitórias na retomada da disputa das Eliminatórias Sul-Americanas para Copa do Mundo do Qatar de 2022. A competição ficou suspensa por mais de um ano justamente por causa da pandemia. Foi retomada em sua jornada de número sete. Os brasileiros, em casa, marcaram 2 a 0 no Equador. Abriram o placar aos 20 minutos da fase final com tento de Richarlisson após assistência de Neymar. Depois de fazer o papel de garçom, Neymar fez o segundo gol aos 49 minutos ao converter cobrança de pênalti.

Na partida contra o Paraguai, em Assunção, pela oitava jornada, o placar foi repetido. Dessa vez foi Neymar, após passe de Gabriel Jesus, quem abriu o marcador. Fez isso logo aos quatro minutos do primeiro tempo. O segundo gol foi assinalado aos 48 minutos do segundo tempo. Lucas Paquetá fez após receber assistência de Neymar. O Brasil manteve, dessa maneira, o aproveitamento de 100% no torneio. Acumulou os 18 pontos possíveis. São seis a mais do que a Argentina, segunda colocada, e tem 11 de frente na comparação com o Paraguai, sexto colocado e primeiro time fora da zona de classificação para o Mundial. A garantia da vaga na Copa do Mundo é mera questão de tempo.

Os jogadores convocados por Tite para Copa América foram:

  • Goleiros: Alisson (Liverpool), Éderson (Manchester City) e Weverton (Palmeiras);
  • Laterais: Émerson Royal (Barcelona), Danilo (Juventus), Alex Sandro (Juventus) e Renan Lodi (Atlético de Madrid);
  • Zagueiros: Éder Militão (Real Madrid), Felipe (Atlético de Madrid), Marquinhos (PSG) e Thiago Silva (Chelsea).
  • Meias: Casemiro (Real Madrid), Douglas Luiz (Aston Villa), Everton Ribeiro (Flamengo), Fabinho (Liverpool), Fred (Manchester United) e Lucas Paquetá (Lyon);
  • Atacantes: Everton Cebolinha (Benfica), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Barbosa (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City), Neymar (PSG), Richarlison (Everton) e Vini Jr (Real Madrid).

Provável escalação do Brasil

 

Brasil na temporada atual

últimos jogos
06/13 202113/0623:00
06/13 202113/06
3-0
-
06/05 202105/0602:30
06/05 202105/06
2-0
-
11/18 202018/1100:00
11/18 202018/11
0-2
-
11/14 202014/1101:30
11/14 202014/11
1-0
-

A forma atual da Venezuela

Venezuela

Os cinco pontos (uma vitória e dois empates) conquistados na primeira fase da Copa América 2019 deixaram a Venezuela na segunda colocação do grupo A. Foram três gols marcados e somente um sofrido graças ao eficiente sistema defensivo montado pelo então treinador Rafael Dudamel. Os venezuelanos, no entanto, acabaram caindo nas quartas de final diante da Argentina. Levaram 2 a 0.

A boa campanha no torneio, no entanto, acabaram abrindo as portas para que Dudamel fosse contratado pelo Atlético-MG no começo da temporada 2020. No entanto, durou pouco tempo no comando do Galo. A eliminação na Copa do Brasil diante do pequenino Afogados da Ingazeira, provocou sua demissão. Porém, a saída abriu o caminho para que o técnico português José Pesseiro, em baixa em seu país, tentasse reerguer sua carreira na seleção da Venezuela. O processo de renovação que Dudamel vinha implantando deu alguns passos através. Jogadores que vinham sendo deixados de lado voltaram a ganhar espaço. A versão 2021 da Copa América será o primeiro grande teste e a chance de comparar os trabalhos.

Eliminatórias mostram retrocesso no trabalho

A briga por um lugar na Copa do Mundo do Qatar de 2022 através das Eliminatórias Sul-Americanas mostra que o time deu um passo atrás ao que vinha apresentando. Na rodada dupla de junho, a Venezuela sucumbiu diante da Bolívia. No encontro disputado em La Paz, foi batida por 3 a 1. Os donos da casa abriram o marcador logo aos cinco minutos da etapa inicial em tento assinalado por Marcelo Moreno. Os visitantes até reagiram igualando a situação aos 26 minutos com Chancellor. Na fase final, todavia, os bolivianos voltaram a se impor. Bejarano fez o segundo aos 15 minutos, e deu assistência para que Marcelo Moreno fizesse o terceiro aos 37 minutos.

O resultado foi compatível com o desempenho das equipes. A Bolívia, que contou com a posse de bola durante 53% do tempo, criou mais oportunidades para finalização (18a 11). Não foi tão superior assim no quesito arremate certo, mas também nesse item teve vantagem. Foram sete bolas no alvo contra seis dos venezuelanos. A chance de atuar em casa contra o Uruguai não trouxe o resultado que a Venezuela esperava. O time não passou do empate sem gols. Nesse caso, poderia tem colhido algo melhor. Mesmo com posse de bola por período inferior aos visitantes (44%), o time da casa criou o dobro de chances para arremate (14 a 7). Porém, não conseguiu manter a proporção nos arremates certos (4 a 3).

Ao ficar nos quatro pontos (uma vitória, um empate e quatro derrotas), a Venezuela ocupa a nona – penúltima – posição na tabela de classificação das Eliminatórias Europeias para Copa do Mundo do Qatar de 2022. Tem a mesma pontuação do Peru, que está na lanterna da disputa. Superam os peruanos apenas quando os critérios de desempate são levados em consideração.

Provável escalação da Venezuela

 

Venezuela na temporada atual

últimos jogos
06/03 202103/0622:00
06/03 202103/06
3-1
-
11/17 202017/1122:00
11/17 202017/11
2-1
-
11/14 202014/1101:30
11/14 202014/11
1-0
-
10/14 202014/1000:00
10/14 202014/10
0-1
-

Estatísticas de ambas seleções


Prognóstico e palpite final para Brasil x Venezuela:

Contra uma Venezuela que não tem mostrado a mesma força defensiva de outros tempos, o prognóstico na vitória da seleção brasileira é o palpite mais adequado no encontro pela primeira rodada da edição 2021 da Copa América.

Prognóstico e palpite final para Brasil x Venezuela:


Promoções para Copa América 2021

Promoções Copa América

Acompanhe tudo sobre a Copa América 2021