sites-de-apostas.net

Quer saber tudo do Brasil nas Copas do Mundo? A Seleção Brasileira é uma das equipes mais tradicionais e famosas da história das Copas e, sabendo disso, decidimos fazer um compilado da história da Seleção Brasileira ao longo de todas as edições do torneio de futebol mais clássico que existe.

Somos pentacampeões, fomos anfitriões por duas ocasiões e claro: participamos de todas as edições do Mundial. Ou seja, a história do Brasil nas Copas do Mundo é imensa e, certamente, somos a seleção mais temida.

São 5 títulos, craques que fizeram história mundo afora e quando a camisa amarela aparece em uma Copa do Mundo todo mundo sabe que tem que respeitar.

O Brasil em Copas é coisa para parar o mundo!

Quer saber tudo da Seleção Brasileira e as suas principais participações em Copas do Mundo?

Então esse é o conteúdo certo para você, meu amigo.

Navegue por este texto escrito por especialistas em futebol e tenha na palma da sua mão a história da seleção que têm mais títulos do torneio mais importante do futebol.

Bora?


Conteúdo


Seleção Brasileira: uma tradição na história das Copas do Mundo

A camisa amarela mais famosa do mundo é a nossa e quando a Canarinho chega em uma Copa do Mundo não tem como não colocá-la como favorita, afinal, são cinco títulos e dois vice campeonatos. Ou seja, são 7 finais.

Além disso, tivemos na história das dos Mundiais craques como Pelé, Roberto Carlos, Gérson, Tostão, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Fenômeno e técnicos consagrados como Telê Santana, Carlos Alberto Parreira e mestre Zagallo.

Portanto, tem que respeitar o Brasil em Mundiais, pois a chance de ser campeão é sempre grande.

Além disso, você sabia que a Seleção Brasileira esteve presente em todas as edições da Copa do Mundo? Participamos desde a primeira Copa do Mundo (realizada em 1930, no Uruguai).

Ainda de maneira discreta e sem tanto apelo midiático como é hoje em dia, a Canarinho sempre esteve presente nos Mundiais. No entanto, nem sempre foi respeitada como é hoje em dia.

Então que tal saber tudo da primeira Copa do Mundo em que o Brasil participou?


Brasil na Copa do Mundo de 1930: a primeira Copa

A Seleção Brasileira foi para a Copa do Mundo sem muita confiança no que poderia acontecer. Ainda sem expressão no futebol mundial, o futebol começava a mexer com a paixão do público brasileiro, enquanto em outros países já fazia sucesso.

Naquela Copa, disputada no Uruguai, houve um “racha” na equipe, onde os jogadores do Estado de São Paulo não disputaram a edição, mas sim apenas os jogadores do Rio de Janeiro. Devido à falta de organização, o Brasil ficou apenas no 6º lugar, não se classificando para a segunda fase.

Desde a primeira edição da Copa, fomos a única seleção a estar presente em todos os mundiais.

Vale lembrar que nesta edição não havia fase de grupos.

Quem fez o primeiro gol do Brasil nas Copas?

O primeiro gol da Canarinho em Copas foi de Preguinho, no jogo contra a Iugoslávia. Foi a estreia do Brasil em Copa do Mundo e a nossa seleção perdeu por 2 a 1 na fase de grupos.


Brasil no Mundial de 1934

Mais uma vez brigas políticas entre as federações atrapalhou o desempenho do Brasil em uma edição do Mundial. Dessa vez, uma briga entre profissionais, amadores e as federações de São Paulo e Rio de Janeiro. A falta de profissionalismo afetou muito o desempenho do Brasil.

Com isso, a equipe brasileira foi eliminada logo na primeira partida (nas oitavas de final), quando perdeu por 3 a 1 para a Espanha.

Mas o erro serviu para que a CDB melhorasse o departamento de futebol para que o Brasil evoluísse sua participação em Copas do Mundo.


Brasil na Copa do Mundo de 1938

A terceira participação da nossa Seleção em Copas do Mundo foi menos apagada que nas duas primeiras edições e conquistamos em honrado terceiro lugar.

Nas oitavas de final, batemos a Polônia por 6 a 5. Nas quartas de final, 1 a 1 com a Tchecolosváquia e, no desempenha, 2 a 1 para a Seleção Brasileira.

Na semifinal, derrota para a Itália por 2 a 1, o que marcava como melhor participação dos brasileiros em Copas até o momento.

Vale lembrar que a disputa do Mundial seria interrompida por conta da Segunda Guerra Mundial, e só voltaria a ser disputada em 1950, com sede no próprio Brasil.

Campanha do Brasil em 1938

  • 5 jogos
  • 3 vitórias
  • 1 empate
  • 1 derrota
  • 14 gols marcados
  • 11 gols sofridos
  • Terceiro lugar geral

Seleção Brasileira na Copa de 1950

Passada a Segunda Guerra Mundial, a Copa do Mundo voltava a ser disputada e dessa vez seria novamente jogada na América do Sul (afinal de contas, os países europeus sofriam com os reflexos pós-guerra).

E, nada melhor, do que a maior nação do continente para sediar o torneio. O Brasil foi o país-sede da Copa de 1950 e evento arrastou multidões para os estádios.

Os brasileiros tinham praticamente certeza que o primeiro título viria naquela ocasião. Por todos os lados só se falava nisso.

Na fase de grupos, o Brasil venceu o México por 4 a 0, empatou com a Suíça em 2 a 2 e venceu a Iugoslávia por 2 a 0. Com isso, se classificou para o mata-mata.

Na fase final, aplicou 7 a 1 na Suécia e 6 a 1 na Espanha. Ou seja, duas goleadas para fazer a Seleção Brasileira chegar até a final da Copa do Mundo FIFA.

A final da Copa de 1950: o Maracanazzo

Na grande final, o Brasil enfrentou a seleção mais prestigiada da América do Sul: o Uruguai.

O nosso vizinho já havia sido campeão em uma oportunidade e vice na outra. Ou seja, é um time experiente e que veio ao Brasil para conquistar mais uma taça. E foi isso que aconteceu.

Diante de mais de 200 mil pagantes no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, o Brasil acabou sendo derrotado por 1 a 0, gol do famoso atacante Ghiggia.

O primeiro título do Brasil foi adiado e o choro nas arquibancadas era inevitável.


Copa de 1954: um novo fracasso

Tentando esquecer o vice em 1950, o Brasil chegou para a Copa de 1954 com uma equipe reformulada e querendo fazer diferente. O evento foi sediado na Suíça, um dos países que não foi muito afetado com a Segunda Guerra Mundial.

Além disso, foi a estreia da famosa camisa amarela em Copas, pois, antes disso, o Brasil jogava com uniforme branco.

No entanto, tamanha reformulação não foi suficiente para o Brasil ir longe no campeonato. O time chegou até as quartas de final e num jogo cheio de pancadarias foi eliminado pela Hungria.

Com isso, o Brasil ficou em 6º lugar naquela edição e sonho de ser campeão foi adiado para 1958, na Suécia.


1958: o primeiro título mundial da nossa Seleção

O Brasil aprendeu com cada erro cometido em todas as Copas e, dessa vez, chegou ao grande título.

Com dupla Pelé-Garrincha e uma equipe cheia de craques como Didi, Vavá, De Sordi, Bellini e Djalma Santos, a Canarinho bateu a Áustria, empatou com a Inglaterra e venceu de forma convincente a União Soviética, País de Gales e França antes de chegar para a grande final diante da anfitriã na final.

O medo de ser vice campeão, como em 195 pairava sobre a mente dos jogadores brasileiros. Mas a solidez dos jogos e as vitórias consistentes fizeram os nossos craques escreverem uma nova página. Brasil campeão e nos lugares mais altos da história do futebol mundial.

A grande final diante da Suécia

O Brasil não tomou conhecimento da Suécia (país anfitrião) e aplicou 5 a 2 no time europeu. Embora tenha saído atrás no placar, as peças brasileiras brilharam e viraram o jogo. O dia 29 de junho de 1958 ficou marcado na história da Seleção Brasileira. Brasil campeão.

História da Copa do Mundo - Brasil de 1958
A Taça Jules Rimet era nossa pela primeira vez. (© imago images / TT) 29.06.1958

Copa de 1962: o Bi campeonato

Se Garrincha já brilhou em 1958, agora, com 4 anos a mais de experiência, havia chegado a hora de mostrar ao mundo novamente quem era o craque das pernas tortas.

Além disso, Pelé já havia mostrado 4 anos antes sua cara ao futebol mundial, no entanto, nesta Copa o maior craque de todos os tempos teve uma participação curta por conta de uma contusão.

Com poucas mudanças em relação ao último Mundial, o Brasil chegou ao Chile como favorito e fez valer o nome de melhor do mundo.

Com cinco vitórias e um empate, o Brasil erguei o bi-campeonato veio fácil na final onde o Brasil ganhou da Tchecolosváquia por 3 a 1.

A final de 62

Na grande final, o Brasil não tomou conhecimento da Tchecolosváquia e bateu os europeus por 3 a 1, com uma brilhante exibição de Zito e Vavá, no Estádio Nacional, em Santiago.

Brasil nas Copas
Seleção Brasileira na Copa de 1968: O Bi chegou (© imago images / United Archives International) 18.06.1962

O Brasil veio a campo com: Gylmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Amarildo, Vavá e Zagallo.

Sem Pelé, Garrincha foi o grande astro da final e eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 1962.


Copa de 66: Seleção apagada

Dono dos últimos títulos, agora os lugares se inverteram para o Brasil e, as coisas que estavam indo a favor, parecem ter mudado de posição.

A Seleção precisou se renovar para 1966 e a mudança não surtiu efeito. O grande erro foi na preparação para a Copa onde o Brasil fazia muitos jogos e chegou cansado ao Mundial.

O Brasil apresentou um futebol bastante abaixo do esperado e o Brasil terminou em 11º lugar, uma das piores campanhas do Brasil na história dos Mundiais.


1970: a mágica seleção e o Tri

A nossa Seleção Brasileira novamente voltou ao topo do mundo. Dessa vez, para marcar uma geração inteira.

Em plena ditadura militar, o país sofria com o regime e uma das maiores alegrias da Nação foi a conquista da Copa do Mundo de 1970.

No México, o Brasil brilhou, venceu todos os jogos e se vingou do Uruguai na semifinal. Na grande finalíssima, bateu a Itália e conquistou o tri da Jules Rimet.

História da Copa do Mundo - Brasil de 1970
Jairzinho, nosso embaixador e lenda desta seleção, trouxe a Taça Jules Rimet pela terceira vez. (© imago images / Varley Media) 21.06.1970

Com uma equipe muito sólida, o Pelé voltou a brilhar e fez a sua melhor Copa do Mundo. Além disso, Jairzinho, Tostão, Gérson, Rivelino e Carlos Alberto Torres brilharam em todos os jogos.

Segundo os entusiastas, assistir jogos do Brasil naquela época era uma verdadeira obra de arte.

A seleção

A Seleção Brasileira de 1970 era composta por: : Félix (goleiro), Carlos Alberto (lateral), Brito (zagueiro), Piazza (zagueiro), Everaldo (lateral), Clodoaldo (meio-campo), Gérson (meio-campo), Pelé (meio-campo), Jairzinho (atacante), Tostão (atacante) e Rivelino (atacante). Os reservas foram: Ado (goleiro), Baldochi (zagueiro), Dario (atacante), Edu (atacante), Fontana (zagueiro), Joel (zagueiro), Leão (goleiro), Marco Antônio (lateral), Paulo César (atacante), Roberto (atacante) e Zé Maria (lateral). Técnico: Mario Jorge Lobo Zagallo.

A final de 1970

Na grande final, disputada no Estádio Azteca, o Brasil não tomou conhecimento da Itália e aplicou 4 a 1 na Azurra. Com um volume de jogo muito maior e uma intensidade de deixar qualquer um de boca aberta, a Canarinho dominou os europeus e se tornou a primeira seleção a ter 3 Copas no currículo.


Brasil em 1974

A Copa da Alemanha Ocidental (quando ainda havia a divisão entre Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental) teve como campeão os próprios anfitriões.

O Brasil , embora tivesse sido o último campeão, não surpreendeu. Terminou em 4º lugar depois de perder para a Polônia.

Uma nova página seria escrita para a o Brasil nas Copas: 24 anos sem títulos para a Seleção Brasileira. Caindo sempre em oitavas de final, quartas de final ou chegando, no máximo, em 3º lugar.


Copa do Mundo FIFA de 1978

Foi a 11ª participação do Brasil nas Copas do Mundo FIFA. E, por incrível que pareça (e sem o título), a Seleção Brasileira terminou aquela edição da Copa de maneira invicta, mas ficou com o terceiro lugar.

O Brasil ficou no Grupo 3 na fase de grupos, onde empatou dois jogos (Suécia e Espanha) e venceu a Áustria por 1 a 0.

Na segunda fase, no Grupo B, o Brasil ficou em 2º novamente e não perdeu nenhum jogo. Na disputa do 3º lugar, vitória por 2 a 1 contra a Itália.

O time base daquela Copa era: Leão (goleiro), Toninho (lateral), Oscar (zagueiro), Amaral (zagueiro), Rodrigues (lateral), Cerezo (meio-campo), Batista (meio-campo), Gil (atacante), Roberto Dinamite (atacante), Dirceu (meio-campo) e Zico (meio-campo). Os reservas foram: Abel (zagueiro), Carlos (goleiro), Chicão (meio-campo), Edinho (lateral), Nelinho (lateral), Polozi (zagueiro), Reinaldo (atacante), Rivelino (meio-campo), Valdir Peres (goleiro) e Zé Sérgio (atacante). Técnico: Cláudio Coutinho. 


Brasil na Copa de 1982: a melhor Seleção Brasileira de todos os tempos?

Muito se fala na ‘Seleção de 82’ como a melhor equipe que o Brasil já teve. O futebol apresentado por aquele time realmente era de encher os olhos e a Canarinho tinha diversos craques, como: Sócrates, Zico, Falcão e Leandro.

No entanto, fomos eliminados pela Itália, após vencer União Soviética, Escócia e Nova Zelândia na fase de grupos.

No mata-mata, batemos a Argentina por 3 a 1, mas, nas quartas de final, após um vacilo da defesa brasileira, Paolo Rossi fechou o placar em 3 a 2 para a Azzurra.

Eliminados de mais uma Copa do Mundo.


Copa do Mundo de 1986

Disputada novamente no México, o Brasil chegava novamente com uma equipe forte sob comando de Telê Santana.7

No Grupo 4 na fase de grupos, a Canarinho bateu a Espanha, Argélia e Irlanda do Norte.

Nas oitavas, bateu a Polônia por 4 a 0, não tomando conhecimento da equipe europeia.

Num dos melhores jogos daquela edição da Copa do Mundo FIFA, o Brasil foi derrotado pela França nos pênaltis, dizendo adeus ao sonho do Tetra. A França sempre foi uma pedra no sapato do Brasil nas Copas.

Mesmo sem vencer mais uma edição da Copa, o Brasil sempre fica entre os países favoritos.

Copa de 90: mais uma decepção

Na Copa da Itália o Brasil queria chegar, pelo menos, no terceiro lugar, mas nem isso foi possível.

Na estreia, contra Suécia, vitória amarrada por 2 a 1.

No segundo jogo, diante da Costa Rica, um único gol. Vitória diante da fraca Costa Rica por 1 a 0.

Classificada com 100% de aproveitamento, a Copa do Mundo FIFA de 1990 acabou cedo para o Brasil. Nas oitavas de final, fomos derrotados pela nossa maior rival: a Argentina.

Em uma partida bastante polêmica por conta da “água batizada”, a Canarinho perdeu por 1 a 0 e dizia adeus ao Mundial com a sua pior participação em Copas.


Copa de 1994: É TETRA!

24 anos depois da conquista do Tri no México, Carlos Alberto Parreira liderou a Seleção Brasileira na Copa de 1994 e nos trouxe o Tetra.

O time base daquela equipe era: Taffarel, Jorginho, Aldair, Márcio Santos e Leonardo (Branco); Dunga, Mauro Silva, Zinho e Raí (Mazinho); Bebeto e Romário.

Esse foi o time que fez história nos Estados Unidos e que trouxe o caneco.

Na fase de grupos, os jogos do Brasil foram duríssimos. Vitória por 2 a 0 contra a Rússia, 3 a 0 em Camarões e, no último jogo da fase de grupos, 1 a 1 com Camarões.

Nas oitavas de final, partida complicada contra os Estados Unidos (país anfitrião), vitória magra por 1 a 0, com um jogador a menos.

Nas quartas de final encaramos a Holanda. O texto para um jogo perfeito estava sendo escrito. 2 a 0 no primeiro tempo. Mas ainda havia uma página ser escrita naquele jogo: empate da Holanda.

Com um golaço de falta, Branco colocou a Canarinho no seu lugar e garantiu o Brasil na semifinal.

Na semi, a Suécia. Com um único gol no jogo, Romário colocava o Brasil de volta a uma final de Copa do Mundo FIFA após duas décadas.

É tetraaaaaaaaaaaa!

Na final, a poderosa Itália com uma equipe recheada de craques. No tempo normal, 0 a 0, em um jogo muito pegado, cheio de faltas e bastante tenso. Um das duas seleções seria tetra.

Nos pênaltis, os italianos desperdiçaram a chance com Baggio e o Brasil converteu todas as penalidades.

Brasil nas Copas
Seleção Brasileira na Copa de 1994: O Tetra chegou (© imago images / Allstar) 17.07.1994

É tetra!


Copa de 1998: um vice amargo

Após o título de 1995, o Brasil iria atrás do penta na Copa da França e tinha uma seleção de alto nível e que poderia muito bem conquistar a taça.

Na fase de grupos, 2 a1 na Escócia, 3 a 0 no Marrocos e uma derrota de 2 a 1 para a Noruega (com um time misto).

Nas oitavas de final, 4 a 1 no Chile.

Nas quartas de final, um jogo emocionante, onde batemos a Dinamarca por 3 a 2, em um jogo de futebol bastante movimentado.

Na semifinal, 1 a 1 com a forte Holanda, com vaga garantida nos pênaltis.

O Brasil chegava de novo a uma final de Copa FIFA.

Apagão na final da Copa

Na grande final, o Brasil simplesmente sofreu um apagão e perdeu de 3 a 0 para a França (equipe anfitriã).

Foi um verdadeiro passeio dos franceses e uma história polêmica envolvendo Ronaldo Fenômeno que até hoje não tem explicações.

O que aconteceu naquela final?


Copa de 2022: o Penta

Campeão em 1994, vice-campeão em 1998 e agora? Agora o Brasil chegava novamente ao local mais alto em que uma Seleção pode chegar.

Renovada após perder a Copa de 1998 com Parreira, mas cheia de contestações, o Brasil sofreu para se classificar para o Mundial sob comando de Luiz Felipe Scolari.

Nas Eliminatórias, passou apuros e, por muito pouco, não ficou de fora do seu primeiro Mundial.

Mas mesmo com essa desconfiança toda, o Brasil venceu com supremacia Turquia, China e Costa Rica na fase de grupos e se classificou para as oitavas de final.

Nas oitavas, enfrentou a Bélgica e venceu por um placar magro (em um jogo cheio de contestações).

Nas quartas de final um dos jogos do Brasil que foram mais emblemáticos naquela Copa. 2 a 1 de virada para cima da Inglaterra, com direito a um golaço de falto de Ronaldinho Gaúcho.

Na semifinal, jogo duro diante da Turquia e vitória por 1 a 0, com gol de Ronaldo.

Com isso, o Brasil chegava pela 3ª vez seguida a uma final de Copa do Mundo. Será que o penta viria?

Brasil 2 x 0 Alemanha: a Seleção Brasileira conquistava o Penta

A final da Copa do Mundo da Coreia do Sul e Japão foi disputada no dia 30 de junho de 2022. Na ocasião, o Brasil encarava a Alemanha e teria que jogar tudo que sabia para derrotar o forte elenco da seleção europeia.

Mas, com uma seleção recheada de boas peças, vencer os alemães foi tarefa fácil. 2 a 0, com direto a dois gols do artilheiro da Copa: Ronaldo.

História da Copa do Mundo - Brasil de 2002
Cafu levanta a Taça e somos penta campeões no Japão. (© imago images / Laci Perenyi) 30.06.2002

Copa de 2006: muitos craques, pouco brilho

Craques como Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Fenômeno, Adriano, Roberto Carlos, Dida, Cafu, entre outros marcavam aquela seleção que havia atropelado a Argentina na final da Copa das Confederações e que encantava o mundo.

Mera ilusão. A Seleção de Carlos Alberto Parreira não deu “liga” na Copa da Alemanha e o Brasil não passou das quartas de final do campeonato, embora tenha sido líder do Grupo F na primeira fase.

Naquela Copa do Mundo FIFA, a atuação brasileira na Copa foi até as quartas, quando perdemos para a França por 1 a 0, com gol de Henry.

Na fase de grupos, batemos Croácia, Austrália e Japão. Nas oitavas de final, 3 a 0 em Gana.


Copa de 2010: uma seleção questionável

Com Dunga no comando da Seleção Brasileira, havia muita desconfiança sobre o que aquela equipe poderia fazer em um Mundial.

E a falta de confiança que pairava estava coberta de razão. Uma equipe apática e sem brilho, que acabou perdendo nas quartas de final para a Holanda (que chegou na final contra a Espanha).

Há quem reclame da falta de uma geração com talentos, outros que acham que o erro era o técnico Dunga pela convocação de nomes como Grafite, Michel Bastos, entre outros.

A verdade é que 8 anos depois do Penta o Brasil estava sem ídolos e o período de “vacas magras” realmente havia chegado.


2014: Copa de volta ao Brasil, mas fiasco da Seleção

Depois de mais de 50 anos uma Copa do Mundo FIFA seria novamente disputada em território brasileiro. A Copa das Copas, como foi chamada a edição de 2014, sem sombra de dúvidas foi uma das melhores Copas no quesito espetáculo.

As 32 participantes fizeram a festa no Brasil, mas, a anfitriã deixou a desejar.

Após vencer de maneira convincente a Copa América e a Copa das Confederações, o Brasil chegava com pinta de campeão com uma seleção liderada por Neymar, Daniel Alves e mais várias peças importantes.

No entanto, após a lesão de Neymar nas oitavas de final, a decepção veio forte. Nas semifinais, o Brasil encarou a Alemanha e fez o maior vexame da seleção nos Mundiais.

7 a 1: o maior vexame do Brasil em Copas do Mundo

Lembrar do dia 8 de julho de 2014 é muito difícil para os brasileiros. Na semifinal do Mundial, realizado no Mineirão, a Alemanha passeou em cima do Brasil e aplicou “apenas” 7 a 1 na equipe dirigida por Felipão.

Erro após erro, o Brasil ia se entregando nas mãos dos alemães e tomou uma goleada histórica.

Brasil nas Copas
O vexame em Copas chega com o um 7 a 1 para Alemanha. (© imago images / Offside Sports Photography) 08.07.2014

Até hoje a ferida ainda não cicatrizou.

Para completar, aquele elenco ainda perdeu a disputa do 3º lugar para a Holanda.


2018: Seleção sem brilho na Rússia

Na última edição do Mundial, mais uma vez a equipe campeã da Copa América tinha tudo que precisava para fazer bonito.

Dessa vez, a Bélgica tirou o Brasil nas quartas de final e gostinho de conquistar mais um Mundial após 16 anos e gritar que é penta foi por água abaixo.

Na fase de Grupos, empate em 1 a 1 com a Suíça, vitória por 2 a 0 em cima da Costa Rica e vitória também pelo mesmo placar em cima da Sérvia.

Nas oitavas de final, 2 a 0 no México.

No entanto, nas quartas de final, fomos superados pela forte geração belga e página do penta teve que esperar.

Será que vai ser em 2022?


Brasil na próxima Copa do Mundo: que venha o Catar!

A Seleção Brasileira se classificou com bastante antecedência para a próxima Copa do Mundo e deve chegar mais uma vez com pinta de favorito.

Como já dissemos, o Brasil nas Copas merece respeito e deve vir para brigar pelo título.

Cabeça de Chave do Grupo G, o Brasil encara na fase de grupos Sérvia, Suíça e Camarões. A tendência é que passe em primeiro lugar no grupo.

Sem sombra de dúvidas o Brasil é o melhor time do continente sul-americano e com mais estrelas. Além disso, nesta próxima Copa o craque Neymar precisa mostrar o seu valor, pois essa é a maior oportunidade do jogador de conquistar uma Copa e trazer o torcedor a seu favor.

Ainda não conhece os grupos para a próxima Copa do Mundo de Futebol, que será realizada no Catar? Clique aqui e conheça.


Principais perguntas relacionadas ao Brasil em Copas do Mundo

Veja a seguir quais são as perguntas mais feitas quando o assunto é a participação da Seleção Brasileiro em edições da Copa do Mundo.

Quais Copas do Mundo que o Brasil ganhou?

O Brasil ganhou as Copas de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2022. A última conquista foi em 2002, na Copa do Mundo do Japão e Coreia do Sul.

Quantas Copas do Mundo o Brasil tem?

O Brasil tem 5 títulos da Copa do Mundo, que foram conquistados em 1958, 1962, 1970, 1994 e 2022.

Qual Copa do Mundo foi no Brasil?

O Brasil foi sede da Copa de 1950 e da Copa de 2014.

E aí, gostou deste texto que contextualiza a participação do Brasil em todas as edições da Copa do Mundo FIFA? Esperamos que sim.

Tudo o que você quiser saber sobre o Brasil nas Copas você encontra aqui na página do Sites de Apostas.Net. Além de falar da nossa seleção, aqui você tem os melhores palpites de futebol que vão contribuir a seu favor na hora de fazer aquela fezinha.