• Palmeiras e Atlético-MG podem decidir vaga à semifinal nas penalidades
  • Após o 2 a 2 no jogo de ida, novo empate leva para a decisão por pênaltis
  • Números de Weverton são melhores ao analisarmos só disputas decisivas

Desde já, vamos falar sobre o Palmeiras. Com cinco derrotas seguidas em disputas por pênaltis, o Verdão pode decidir a vaga na semifinal da Taça Libertadores desta forma. Isso se ocorrer um novo empate com o Atlético-MG, na partida desta quarta-feira, no Allianz Parque – o duelo de ida foi 2 a 2.

Então, vale lembrar que, no Mineirão, Hulk abriu o placar em cobrança de pênalti, no fim da primeira etapa. O goleiro Weverton acertou o canto, mas não conseguiu defender o chute cruzado do atacante atleticano. O lance reabriu a discussão sobre o desempenho do arqueiro palmeirense nas penalidades.

De acordo com as informações do site ‘Globo Esporte’, Weverton, um dos líderes do Palmeiras, não defende uma cobrança no tempo normal desde 2019, contra o Ceará. Mas o desempenho em disputas decisivas segue relevante no geral, tanto que ele tem números superiores aos do ídolo Marcos.

Segundo o ‘Ge’, os números de Weverton são melhores ao analisarmos só as disputas decisivas (após o tempo normal). Isso porque o atual titular tem oito defesas em 42 cobranças finais. Ou seja, o aproveitamento é de 19%, contra 18,6% do ex-goleiro, que fez 17 defesas em 91 tentativas dos adversários.

Então, Weverton defendeu ao menos um pênalti em seis das sete disputas por penalidades (85,7%), enquanto Marcos pegou ao menos uma cobrança em nove das 16 decisões (56,2%). Inclusive, o Palmeiras conquistou o título do Paulistão de 2020, em decisão contra o Corinthians, nas penalidades. O goleiro do Verdão defendeu duas cobranças naquela disputa.

Palmeiras de Abel Ferreira já perdeu cinco disputas de pênaltis

Desde então, a equipe do técnico Abel Ferreira perdeu cinco vezes nas penalidades (Mundial de Clubes de 2021, Supercopa de 2021, Recopa de 2021 e Copa do Brasil de 2021 e de 2022). Porém, nas disputas, Weverton só ficou zerado uma vez, contra o Defensa y Justicia.

De acordo com levantamento do ‘Ge’, em relação a todos os pênaltis batidos contra Weverton desde 2019, o goleiro defendeu dez. Além disso, viu seis dessas cobranças irem na trave ou para fora em 68 oportunidades.