Prevenção. Essa atitude muitas vezes simplesmente é ignorada pelos usuários das casas de apostas antes de fazer o registro com os sites de jogos online. O desejo de começar a disparar bilhetes e buscar lucro faz com que alguns cuidados básicos no relacionamento entre cliente e prestador de serviços sejam deixados de lado.

Quando se está comprando um apartamento em construção, por exemplo, a pessoa que deseja adquirir o imóvel tem um imenso contrato para ler, verifica as condições impostas pela empresa proprietária, tem acesso ao detalhado memorial descritivo onde a companhia lista cada item que tem a responsabilidade de entregar, prazos e, inclusive, as marcas a serem utilizadas. Gasta tempo nesse processo para garantir que vá receber o que foi prometido.

Desconhecimento de regras pode levar a desativação ou cancelamento

Contudo, tal cuidado nem sempre é tomado nos relacionamentos com prestadores de serviço, especialmente quando ele acontece através da rede mundial de computadores. A grande facilidade apresentada pelas ferramentas de Internet permitem a concretização de acordos de longo prazo e que podem ter consequências graves em alguns segundos após uns poucos cliques. A pressa da conclusão dessa transação pode acabar causando transtornos no futuro. Leitura dos contratos com termos e condições pode evitar problemas com casas de apostas

Isso porque as pessoas começam a fazer suas transações sem saber exatamente as regras que devem ser seguidas. Na esmagadora maioria dos casos, fazem isso sem intenção de causar qualquer dano. Apenas acreditam que nenhum problema vá ocorrer. Entram de boa fé na relação. Contudo, obstáculos aparecem e, nesse momento, nota-se que as medidas não foram tomadas no momento necessário poderiam evitar algumas dores de cabeças.

Contrato de termos e condições regem o relacionamento

Uma dessas medidas é a leitura dos “termos e condições” que são impostos pelas empresas online. Trata-se de um contrato entre o cliente e a companhia que vai determinar como será o relacionamento de prestação de serviços. Nesse documento estão incluídas as medidas que podem ser tomadas em caso de problema. Conheça nossa comparação dos serviços das casas de apostas!

É bem verdade que discordar dos temos e condições oferecidos não vai fazer muita diferença. Não existe uma negociação. É um contrato de adesão. As empresas determinam as regras e o máximo que o cliente pode fazer é aceitar, caso queira prosseguir com o negócio, ou rejeitar. Nesse caso, não vai operar com a companhia em questão. Porém, a forma como os contratos são feitos indicam como evitar problemas e a melhor maneira de solucioná-los quando acontecem.

Legislação brasileira é irrelevante para casas de apostas

Os apostadores brasileiros que usam os serviços oferecidos pelas empresas do setor muitas vezes acreditam que estão protegidos pela legislação do país, especialmente aquela que se refere à rede de proteção do consumidor. É um grave engano. As empresas de apostas são proibidas de atuar no país. Logo, não se trata de uma relação englobada pelas leis vigentes no Brasil.

Logo, a transação é considerada uma compra no exterior.  Tem o mesmo efeito de se abrir a carteira e pagar alguns dólares pela réplica da Estátua da Liberdade em uma das muitas lojinhas de presentes espalhadas por Nova York. Se perceber que o produto tem algum problema, ligar para o Procon não trará qualquer benefício.

Como não adianta ficar chorando em cima do leite derramado, se os cuidados de prevenção não foram tomados, o negócio é remediar. Logo, não adianta ameaçar, praguejar ou ficar irritado se um problema como o cancelamento de conta, tema que motivou essa postagem, aconteceu. É preciso, antes de mais nada, saber como a própria casa de apostas estabelece o sistema de recurso nos casos de a conta ter sido desativada.

Esse é o momento de voltar algumas casas nesse jogo imaginário de tabuleiro retornando para a posição um, que é verificar o que indicam os termos e condições. Em Rivalo, por exemplo, o contrato tem um parágrafo específico sobre reclamações. É o último do acordo de prestação de serviços e estabelece que o cliente insatisfeito com a medida tomada pelo site de jogos online deva entrar em contato com o serviço de atendimento da casa através do e-mail support@rivalo.com .

A empresa promete processar essa reclamação em 48 horas. Isso não significa que o problema será resolvido nesse período. Apenas que um processo para a verificação da queixa será aberto no prazo determinado. O tempo para conclusão vai depender da complexidade das questões que são colocadas.

Casa é desobrigada a revelar motivos do cancelamento

Há uma série de motivos que podem levar Rivalo ou qualquer outro site de jogos online a cancelar ou desativar uma conta. Um dos mais comuns é o uso pelo mesmo cliente de várias contas diferentes, algo que é proibido por todos os sites de apostas. Isso porque as empresas estabelecem um limite a ser investido nos palpites e também do retorno a ser obtido. Normalmente os apostadores que criam múltiplas contas querem burlar essa regra.

Mas não é o único motivo. Suspeitas de lavagem de dinheiro, manipulação de resultados e qualquer outra fraude pode gerar o cancelamento ou a desativação da conta. No caso de Rivalo, a casa, em seus termos e condições, se desobriga de revelar qual foi a razão da tomada de decisão de desativar ou cancelar a conta. Isso acaba criando um problema na hora de o apostador se defender. Tem que fazer isso sem saber exatamente contra o quê contestar.

Mesmo assim, o contato com a empresa e a apresentação de uma defesa são essenciais para que o protesto seja feito na tentativa de reativar a conta ou mesmo solicitar o envio do dinheiro que eventualmente estava disponível no balanço. Isso será avaliado pela casa de apostas no processo de avaliação da reclamação.

Órgão regulador pode ajudar na solução do problema

Ao final desse processo, a casa fará um comunicado oficial sobre sua decisão sobre o caso. Geralmente informará que se trata de uma decisão oficial e não cabe mais recursos. Isso, contudo, é uma meia verdade. De fato, depois da decisão, o site não irá mais avaliar outras queixas sobre o mesmo conteúdo. Contudo, há chances de modificar sua decisão.

Todos os sites de jogos online dependem de uma licença para atuar. No caso de Rivalo, ela foi conseguida na ilha caribenha de Curaçao. Esse pequeno país que tem três idiomas oficiais (papiamento, holandês e inglês) é um dos que mais facilitam a concessão de licenças desse tipo e, por isso, são procurados por grande número de operadores de serviços de jogos online.

Essas licenças são importante fonte de recursos para a ilha de menos de 500 quilômetros quadrados e com população inferior a 200 mil habitantes. O país criou um órgão regulador, que recebeu o nome de “Curacao e-gaming”. Ele é responsável “supervisionar e garantir a integridade e conduta dos operadores e provedores de serviço” do setor. Assim, é possível utilizar esse agente como tribunal superior enviando queixas através do e-mail compliance@curacao-egaming.com ou então no formulário disponível em seu site oficial. Nesse caso, as queixas devem ser prestadas em língua inglesa. Isso não garante que a casa vá reverter sua decisão, mas a manifestação do órgão pode fazer com que o site de jogos online adote uma postura diferente e, eventualmente, reveja o cancelamento ou desativação da conta.