Jogadores atualmente lesionados & suspensos no Campeonato Mexicano

 

Emoção em primeiro lugar. Esse poderia ser o lema da Liga MX. O argumento de que implantar o sistema de pontos corridos é uma forma de sempre beneficiar os melhores times, que têm planejamento superior e consistência e, dessa forma, garantir disputas mais justas, nunca colou em terras mexicanas. O México segue fiel à fórmula de disputa que estabelece uma etapa classificatória e reserva grandes embates para o estágio de mata-mata que indica os campeões nacionais.

É isso mesmo. O Campeonato Mexicano adota a fórmula de duas disputas isoladas. A primeira delas recebeu o nome de Torneio Abertura. É realizada em turno único e gera um vencedor. Depois, no returno, a classificação é zerada para a disputa do Torneio Encerramento, que também tem seu ganhador. Como não há cruzamento, ao final da temporada, que adota o sistema europeu usando metade de cada ano, o México tem dois campeões nacionais. O sistema de disputa afeta diretamente o número de jogadores suspensos. Ainda que em determinado momento os cartões sejam cancelados para permitir que todos os atletas participem da fase decisiva, aqueles que são punidos no último jogo não têm esse benefício. Assim, os pendurados costumam agir preventivamente para que sejam suspensos em partidas de menor importância.

Última atualização em 28/11/2020, 22h.

Atlas

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Edgar ZaldívarLesão do ligamento cruzado31/08/2020Meados de março de 2021

CF America

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Bruno ValdezLesão no joelho26/08/2020Começo de março de 2021

Cruz Azul

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Milton Joel CaraglioLesão na perna18/09/2020Duvidoso

Pachuca

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Jorge HernandezLesão no tornozelo10/09/2020Começo de novembro 2020

Puebla

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Alonso ZamoraLesão no joelho02/09/2020Começo de maio de 2021

Pumas

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Marco Antonio García RobledoLesão do ligamento cruzado07/03/2020Final de novembro 2020

Queretaro FC

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Gil AlcaláLesão no ombro24/10/2020Duvidoso

Santos

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Brian LozanoPerna fraturada20/06/2020Começo de janeiro de 2021

Tijuana

JogadorLesãoData de lesãoRetorno
 Víctor Andrés GuzmánDesconhecido09/11/2020Duvidoso
Jogador voltou a treinar
Jogador voltará no futuro próximo
Jogador ausente por um longo período
Suspensão

O modo de disputa também tem influência na questão de atletas machucados. Quando um time assegura antecipadamente sua classificação para os playoffs, pode recorrer ao experiente de tirar do time seus atletas principais para reduzir o risco de que estejam lesionados na hora do mata-mata.

Investimento torna mexicanos hegemônicos no continente

O torneio é disputado por 18 clubes. Ao final de 17 rodadas, os oito primeiros avançam para os playoffs, que são feitos no sistema olímpico com o líder da fase classificatória enfrentando o oitavo, o segundo pegando o sétimo colocado e assim por diante. Disputam jogos de ida e volta até que seja conhecido o campeão.

Dinheiro e investimento não faltam na Liga MX, que possui patrocinadores capazes de garantir verba suficiente para que os clubes eventualmente consigam até mesmo tirar atletas de clubes europeus. Os valores superam em muito o que é gasto pelos times da MLS, a mais importante liga profissional de futebol dos Estados Unidos. Isso faz com que os mexicanos sejam hegemônicos nas disputas continentais.

Tal predomínio pode ser percebido claramente na disputa da Copa do Mundo de Clubes da Fifa (Federação Internacional de Futebol). Quase que invariavelmente a vaga reservada para o vencedor da Liga dos Campeões da Concacaf (entidade que reúne países do Caribe e da América do Norte) acaba nas mãos mexicanas. Foi assim com Necaxa, América, Pachuca, Atlante, Monterrey e Cruz Azul, que já chegaram ao Mundial.

Quando confrontados com equipes de outros continentes, contudo, o desempenho não é dos mais animadores e acaba refletindo uma fragilidade técnica do Campeonato Mexicano, que tem muita emoção, mas qualidade questionável. O país jamais conseguiu ver um de seus clubes como finalista da Copa do Mundo de Clubes. O máximo que alcançou foi o terceiro lugar.